Home
Sobre Antonio Miranda
Currículo Lattes
Grupo Renovación
Cuatro Tablas
Terra Brasilis
Em Destaque
Textos en Español
Xulio Formoso
Livro de Visitas
Colaboradores
Links Temáticos
Indique esta página
Sobre Antonio Miranda
 
 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 
POESIA MUNDIAL EM PORTUGUÊS


WALT WHITMAN

 

 

Walt Whitman (Huntington, 31 de maio de 1819 – Camden, 26 de março de 1892) foi um poeta, ensaísta e jornalista norte-americano, considerado por muitos como o "pai do verso livre". Paulo Leminski o considerava o grande poeta da Revolução americana, como Maiakovsky seria o grande poeta da Revolução russa. Sua obra Folhas de Relva é considerada um marco na literatura universal, principalmente dentro do gênero poético.

Fragmento de biografia extraído de Wikipedia.

Biografia: Wikipedia

 

 

 

 

  A UM REVOLUCIONÁRIO EUROPEU VENCIDO

 

      Coragem, apesar de tudo, meu irmão ou minha irmã!
Permanecei sempre na obstinação.

        A liberdade exige nosso esforço suceda o que suceder.
Pouco valem os que se deixam,
ante uma ou duas derrotas, ou mesmo ante muitas derrotas,
ante a indiferença ou a ingratidão do povo,
ante qualquer traição,
ante os bandidos que se apossam do poder,
ante os soldados, os canhões, os códigos penais.

O que desejamos permanece em latente e perpétua espera,
em todos os continentes.
Não convida ninguém, não promete nada,
permanece na luz ou na sombra, dono de si mesmo,
sem desconhecer o desânimo e o temor,
aguardando pacientemente seu dia e sua hora.

Estes cantos não são de lealdade somente.
São também cantos de insurreição,
porque sou o poeta jurado de todos os audazes e rebeldes
do mundo.
Aqueles que me acompanham
deixam atrás de si a paz e a rotina,
e arriscam a existência a todo instante.

A batalha prossegue em múltiplo e contagioso alarme,
com frequentes avanços e retiradas.

O traidor triunfa ou imagina que triunfa.
A prisão, o cadafalso, o garrote, as algemas, as grilhetas
e as balas não são ociosas.
Os heróis conhecidos ou anônimos passam a outras esferas.
Os grandes oradores e escritores são exilados
e permanecem amargurados e nostálgicos em longínquas

                                                                               terras.
A causa está adormecida.
As vozes mais fortes se afogam com o próprio sangue.
Os jovens quando se encontram baixam os olhares.
Mas apesar de tudo a liberdade não abandonou seu posto,
nem os traidores gozam plenamente da vitória.

       

Quando a liberdade abandona um lugar
não é a primeira a deixá-lo nem a segunda nem a terceira.
Espera que todos partam. É a última a retirar-se.
Quando já não fica a memória dos heróis e dos mártires,
quando todas as vidas e todas as almas de homens e mulheres
forem banidas de todas as regiões,
só então a liberdade ou a ideia de liberdade
serão expulsas da terra,
e o traidor desfrutará da plenitude da vitória.

Ânimo, portanto, homens e mulheres!
Não deveis repousar antes que tudo tenha terminado.

Ignoro qual seja a vossa missão.
Eu mesmo ignoro o que sou e por que existem todas as coisas.
Esforço-me também para tudo esclarecer,
ainda quando esteja vencido.
Há grandeza em todas as situações,
no ostracismo, na miséria, na hostilidade, na prisão.

Julgaste que a vitória era grandiosa.
Sim. É grandiosa. Mas me parece que a derrota
quando inevitável também é grande.
E grande são a morte e a desconsolação.

 

 

                (Tradução de Edmundo Moniz (1911-1997)

 


 

Página publicada em julho de 2020.


 

 

 
 
 
Home Poetas de A a Z Indique este site Sobre A. Miranda Contato
counter create hit
Envie mensagem a webmaster@antoniomiranda.com.br sobre este site da Web.
Copyright © 2004 Antonio Miranda
 
Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Home Contato Página de música Click aqui para pesquisar