Home
Sobre Antonio Miranda
Currículo Lattes
Grupo Renovación
Cuatro Tablas
Terra Brasilis
Em Destaque
Textos en Español
Xulio Formoso
Livro de Visitas
Colaboradores
Links Temáticos
Indique esta página
Sobre Antonio Miranda
 
 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

MARCIA BARROCA

 

Marcia Barroca nasceu em Leopoldina/MG em 29 de outubro de 1951 e reside há 34 anos no Rio de Janeiro.

Licenciada nas Literaturas: Brasileira, Portuguesa, Inglesa e Americana. Formada em Letras pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras Santa Marcelina - Muriaé/MG.

É membro das Academias: Poçoense de Letras e Artes, Poções/BA; Academia Brasileira de Literatura do Rio de Janeiro; Sociedade Eça de Queiroz/RJ. Membro Honorário da ALB - Mariana/MG; membro da APPERJ - Associação Profissional dos Poetas no Estado do Rio de Janeiro; membro da UBE - União Brasileira de Escritores/RJ.

Publicou pela Editora Alcance/RS, em 2006, seu primeiro livro Msrés e Semeaduras. Em 2009 publicou seu segundo livro, Desclausura - O verniz de unha na boca, pela mesma editora. Em 2010, o livro 50 poemas escolhidos pelo autor pela Galo Branco/RJ, que recebeu o Prémio Henriqueta Lisboa/2012 - UBE/RJ. Em 2012, lança pela Editora Kelps/GO, Aldravias a cinco vozes, em português e espanhol, em parceria com os poetas: Edir Meirelles. Juçara Valverde, Luiz Gondim e Messody Benoliel. 

BARROCA, Marcia.  Poemas nus.  Rio de Janeiro: Oficina, 2013.  68 p.  14x21 cm.  Col. A.M. 

 

Segredos dedilhados

 

Carrego versos

como quem carrega fardos

Exorcizo do corpo

demónios ancorados

e da alma frémitos arrepios

 

Revelo meus segredos

descobrindo véus

para quem sem medo

dedilhar meus sons

 

O amor entrego

para o olhar

trovoada sacudindo

minha porta aberta

 

Rimas raras

correndo meus pensamentos

 

 

Um corpo livre

 

Quero um corpo

sem sentimentos

para poder amar

sem culpas

 

Descansar dos silêncios

ecos de ausências

Breves momentos de prazer

 

Um corpo livre

sem apegos

que aconteça imenso

direto/cheio de acasos

 

Um corpo inteiro

 

Revelando sorrisos

carregados de poemas

 

Devorando-me!

 

 

Desconstruir palavras

 

                    Para Luiz Gondim

 

Deitar o grão

na umidade da terra

Gerar alimento

fecundar o corpo

 

Redimir o desejo

do cio em chama

 

O sopro do vento

escava o verso

Constrói armadilhas

planta o poema

humaniza sonhos

 

Reconstruir o tempo

salva o poeta

da palavra desconstruída

 

 

Página publicada em outubro de 20013


 

 

 
 
 
Home Poetas de A a Z Indique este site Sobre A. Miranda Contato
counter create hit
Envie mensagem a webmaster@antoniomiranda.com.br sobre este site da Web.
Copyright © 2004 Antonio Miranda
 
Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Home Contato Página de música Click aqui para pesquisar