Home
Sobre Antonio Miranda
Currículo Lattes
Grupo Renovación
Cuatro Tablas
Terra Brasilis
Em Destaque
Textos en Español
Xulio Formoso
Livro de Visitas
Colaboradores
Links Temáticos
Indique esta página
Sobre Antonio Miranda
 
 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

ULYSSES LINS

 

 

Ulisses (também grafado Ulysses) Lins de Albuquerque nasceu em Sertânia (PE) , em 9 de maio de 1889. Funcionário público, formou-se em Ciências Jurídicas e Sociais pela Faculdade de Direito do Recife. Foi professor interino, em 1904, e teve uma escola particular. Nomeado pelo governador Sigismundo Gonçalves, foi agente do Tesouro na Coletoria Estadual e agente fiscal do Imposto de Consumo em Pernambuco. Transferido para São Paulo, em 1938, atuou na advocacia e na indústria agropecuária. Em 1945, elegeu-se constituinte e, depois, deputado federal por Pernambuco, na legenda do Partido Social Democrático (PSD), reelegendo-se nos pleitos de 1950 e de 1954. Pertenceu à Academia Pernambucana de Letras. Escreveu: Ao Sol do Sertão (versos); Mestres e Discípulos (sonetos); Fogo e Cinza (poesia); Um Sertanejo e o Sertão (memórias); Moxotó Brabo; Sol Poente; E a Noite Vem; Três Ribeiras. Morreu no Rio de Janeiro, em 29 de dezembro de 1979. Um de seus filhos, Etelvino Lins, foi interventor de Pernambuco, senador, deputado federal e governador de Pernambuco.  Fonte: Assembleia Legislativa de Pernambuco

 

Livros de poesia: PEDÚNCULOS(1910; AO SOL DO SERTÃO (1922); MESTRES E DISCÍPULOS(1927); FOGO E CINZA (1933); EXALTAÇÃO À POESIA SERTANEJA(DISCURSO DE POSSE NA ACADEMIA PERNAMBUCANA DE LETRAS-1934); SOL POENTE (1962); SEARA ALHEIA (1969)/ E A NOITE VEM(1969); *QUADRAS DE OUTRAS QUADRAS(1976),  

 

 

 

LINS, Ulysses. Quadras de outras quadras. Rio de Janeiro: Edição do autor, 1978.  12 p.15x22cm. Brochura. Prefácio de T. Lima.  Inclui 5 xilogravuras originais de Poty Lazarotto.  Col. A.M.  (EA) 

 

 

Quando na Terra surgias,

Cobriu-se o Espaço de um véu...

Vênus disse às Três-Marias:

"Falta uma estrela no Céu!"

***

Toda de branco, cismando,
Pareces-me (e ver suponho)
Uma garça se banhando

No lago azul do meu Sonho.

***

No deserto que me oprime, - 
 − Beduíno da Ilusão, −

És a miragem sublime

Que me deslumbra a visão.

***

Se ela sorrindo me fita,

Eu penso, e sei que é certeza:

Não há obra mais bonita

Nos reinos da Natureza.

***

Os amores que eternizam
Lauras, Beatrizes, Leonores,

− Os que não se realizam −

São sempre os grandes amores.

***

Quando eu a vejo, tão bela,
Fico logo sem ação,

Pois leio nos olhos dela
Meu mandado de prisão.

 

 

 

SONETOS. v.1.Jaboatão dos Guararapes: Editora Guararapes EGM, s.d.  154 p.  16,5 x 11       cm.  ilus. col.  Editor Edson Guedes de Moraes. Inclui 148 sonetos de uma centena de poetas brasileiros e portugueses.  Ex. bibl. Antonio Miranda

ULISSES LINS DE ALBUQUERQUE





 

 

 

Página publicada em agosto de 2013; ampliada em julho de 2018


 

 

 
 
 
Home Poetas de A a Z Indique este site Sobre A. Miranda Contato
counter create hit
Envie mensagem a webmaster@antoniomiranda.com.br sobre este site da Web.
Copyright © 2004 Antonio Miranda
 
Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Home Contato Página de música Click aqui para pesquisar