Home
Sobre Antonio Miranda
Currículo Lattes
Grupo Renovación
Cuatro Tablas
Terra Brasilis
Em Destaque
Textos en Español
Xulio Formoso
Livro de Visitas
Colaboradores
Links Temáticos
Indique esta página
Sobre Antonio Miranda
 
 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



POESIA PERNAMBUCANA

Coordenação de Lourdes Sarmento



 

CLOVES MARQUES

 

Escritor, poeta, fotógrafo, com formação em Engenharia Civil, natural de Delmiro Gouveia/AL, nasceu em 10 de setembro de 1944. Reside, há mais de 40 anos, no Recife/PE. Publicou, entre outros, Pra não Morrer de Amor (poema), É Eterno, Mas é Preciso (poema), Crônicas do Encontro (crônicas), Umareru – Instantâneos de Natal (haicai), Haicai ao Recife (haicai), Máscara em Haicai (ensaio, haibum e haicai), 365 Haicais de Sol e Chuva (haicai – premiado, em 2005, com Menção Honrosa, pela Academia Pernambucana de Letras e Conselho Municipal de Cultura do Recife); no prelo, 100 Tancas de Amor Amado (tancas - premiado com Menção Honrosa, em 2006, pelo Conselho Municipal de Cultura do Recife). Participou de diversas exposições fotográficas e de antologias. É sócio efetivo da Academia de Letras e Artes do Nordeste, da Academia Recifense de Letras e membro da UBE/PE.  

 



MARQUES, Cloves.  365 haicais de sol e chuva.  Ilustrações: Wilton de Souza.  Recife: Edição do Autor, 2006.  Capa- concepção: Francisco de Assis.   s.p.  20x20 cm.   ISBN 85-98896-10-1   

 

A chuva é assim

traz a vida, encharca a lida

é começo e fim.

 

A boca da noite

usa raspa de juá:

sereno perfumado.

 

Na rua deserta,

a chuva encharca o casal.

Beijo molhado.

 

Seus olhos, menina,

têm calor e cor de sol,

ave de rapina.

 

O sol passeando

sobre a pele do riacho

que se ri e foge.

 

O riacho corre

feito cobra ociosa

Morde a terra e morre.

 

Vejo um olhar seco

calcinado pelo sol:

guarda esperança.

 

Paz na caatinga.

A trovoada guardou

água na moringa.

 

Se a chuva não vem,

o pensamento é pungente,

a fome também.

 

Pleno entendimento:

tem raios na flor da mão,

luz no pensamento.

 

O sol arrebenta

os pensamentos afoitos.

A vida é lenta.

 

Ah! Terrível estio.

A menina cumpre sina

procurando um rio.

 

Um rio Beberibe,

que um homem-caranguejo

num descuido exibe.

 

Caça gotas d’água

no leito seco do rio:

lágrimas guardadas.

 

Na ponta dos pés,

o menino não alcança

um sonho-caju.

 

Vejo o agricultor

assuntando o que fazer:

emprenhar a terra.

 

Bem à luz do dia,

a fome assaltou um homem.

A justiça espia.

 

 

MARQUES, ClovesUmareru Instantâneos de Natal.  Recife, PE: edição do autor, 2001.  37 p.  19x19 cm  “Trabalho apresentado na Academia de Letras e Artes do Nordeste Brasileiro”.  Tiragem: 100 exs.  “ Cloves Marques “ Ex. n. 78/100, bibl. Antonio Miranda. 


MARQUES, Cloves.  Haicai ao Recife.  Recife, PE: Casa de Taipa, 2002.  40 p.  ilus.  Col.  14,22x13 cm Edição de 50 exs. Ex. n. 01/50 na bibl. Antonio Miranda.  “Cloves Marques “ 

 

 

MARQUES, Cloves.  Máscara em Haicai.  Recife, PE: FacForm, 2005.  118 p.  ilus.  20x20 cm.  Capa: concepção Francisco de Assis. Design: Tarciana Alves.  “Cloves Marques “  Ex. bibl. Antonio Miranda



MARQUES, Cloves.  [ sem título ]   Recife, PE: FacForm Gráfica, s.d.  Poemas de Cloves Marques ilustrados por J. Borges.  11 folhas soltas acondicionadas em envelope. 18x20 cm.   “ Cloves Marques “ Ex. bibl. Antonio Miranda


 



Voltar para o topo da página Voltar para a página de Pernambuco

 

 

 
 
 
Home Poetas de A a Z Indique este site Sobre A. Miranda Contato
counter create hit
Envie mensagem a webmaster@antoniomiranda.com.br sobre este site da Web.
Copyright © 2004 Antonio Miranda
 
Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Home Contato Página de música Click aqui para pesquisar