Home
Sobre Antonio Miranda
Currículo Lattes
Grupo Renovación
Cuatro Tablas
Terra Brasilis
Em Destaque
Textos en Español
Xulio Formoso
Livro de Visitas
Colaboradores
Links Temáticos
Indique esta página
Sobre Antonio Miranda
 
 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

VINICIUS MEYER
 

Nasceu em Pouso Alegre a 27 de setembro de 1906. Bacharel em Direito. Laureado pela Academia Brasileira de Letras pelo livro “Poemas caboclos”.

 

SAUDADE

... e o canto dolente
Da gente da terra,
Monótono e longo,
Findando-se em ais!

... e as noites tão longas,
Cruzadas de luzes,
Pejadas de gritos,
Inçadas de cruzes!

... e o sol que requeima,
E a terra que arde,
E o eito escaldante
Nas horas da tarde!

... E os olhos morenos,
Nostálgicos, ternos,
Que nele pousaram,
Dormindo silentes!

Tudo acompanha o estrangeiro triste,
Que, da popa do navio,
Lança os olhos,
Como mãos aflitas,
Para a terra que some,
Que some entre praias ardentes.

Saudade, por que acompanhas o estrangeiro triste<
Por que o acompanhas aos países frios,
Tu que moras nas terras tropicais?

Saudade:
Passageira da popa dos navios,
Esperança que olha para trás...

          (Poemas caboclos)

 

BENTO-QUE-BENTO

Um “bolo” estala na mão aberta
Do que chegou por último, a correr.
E começa, de novo, o alegre brinquedo,
Alegre e simples, como vão ver.

O Pai — que faz de “mestre” — está atento,
E grita logo, com voz bem forte:
— “Bento-que-bento!”
Respondem os filhos com alacridade:
“Frade”!

Torna o “mestre” a gritar, olhando em torno:
— “Na boca do forno!”
Respondem os filhos, como num eco:
— “Forno”!

— “Fareis tudo que “seu mestre” mandar?”
— “Faremos todos!”

Então o “mestre” pega a inventar:
—“Cada um... cada... cada um vá ao ribeirão
E traga um pouco dágua na mão!”

Correm todos, vão tropeçando,
Pegam a água, voltam zunindo,
E quando chegam ficam esperando
O caçulinha, que lá vem vindo.

Chega por último, de mãos vazias.
—“Que é da água que foi buscar?”
Pergunta o “mestre” fechando a cara.

Responde ele, fazendo beiço para chorar:
— “Seu mestre”, a água caiu no chão,
Não houve meios de a carregar...”

— “Vai tmar “bolo”! — o mestre ameaça,
E para dá-lo levanta o braço,
Mas olha o filho, — tão pequenino” —
E, ao invés do “bolo”, lhe dá um abraço...

 

 

ALBUM DE POESIAS.  Supplemento d´O MALHO.   RJ: s.d.   117 p.  ilus. col.  Ex. Antonio MirandaZ

 

 

 

 

 

Página publicada em julho de 2015; AMPLIADA em março de 2019.

 

 


 

 

 
 
 
Home Poetas de A a Z Indique este site Sobre A. Miranda Contato
counter create hit
Envie mensagem a webmaster@antoniomiranda.com.br sobre este site da Web.
Copyright © 2004 Antonio Miranda
 
Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Home Contato Página de música Click aqui para pesquisar