Home
Sobre Antonio Miranda
Currículo Lattes
Grupo Renovación
Cuatro Tablas
Terra Brasilis
Em Destaque
Textos en Español
Xulio Formoso
Livro de Visitas
Colaboradores
Links Temáticos
Indique esta página
Sobre Antonio Miranda
 
 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Foto: https://lyricstranslate.com/pt-br

FRANCESCO NAPOLI

 

Poeta, compositor, guitarrista, pesquisador e professor de filosofia e história da arte. Integra o projeto de performance biosonora neonão, o grupo de música de invenção zanzaza,  o grupo de música cexperimental borTam.  Apresentador do programa tropofonia, ráfio ufmg educativa. Tem um liv rfo d poemas publicado  sobre alguma coisa, sobre coisa alguma ou meta poesia sem meta.  Edita o blog de experimentação poética  fanzinezat.zip.net.

 

De
Francesco Napoli
Árvore em V
Belo Horizonte: Anome Livros, 2011.   124 p. 
(Coleção  aatopiaa, 4)  Inclui CD

 

 

ouso mentir
ou somente ir
de encontro ao devir

ou sou eu o outro
que perdi dentro de mim

ou o outro na saída
emergindo em latência
indo em boa hora
nessa ida de emergência

 

*

 

e posso poder poder
posso querer querer
quero poder querer
quero fazer valer
faço valer o querer
quero o que quero e sei
o que quero sério sério
será mistério o que quero

 

outono

digo outro
ou outono
nem inverno nem verão
nem firo nem calor
nem senti
sua ausência
ou sim chorei bem
outra vez
mas foi fácil
ou passou despercebido
outro ato distraído
tudo por um triz
outra vez
nem calor nem frio
tudo limbo
ou outono
outra vez

 

 

POESIA SEMPRE. Ano 17 / Número 35. 2000 Número 3 — 2000. Editor Marco Lucchesi.   Rio de Janeiro, Fundação Bibioteca Nacional, Ministério da Cultura,  2000.  Ex. bibl. Antonio Miranda.

 

        ninguém
         nenhum assunto
 

ninguém em mim
pensa mais em você

 

não há mais o que dizer
nada em cada palavra tem

 

ninguém

em mim pensa mais
 

nenhum gesto resta
nenhum resto

 

nem o que te digo agora
já foi a sua hora

 

ninguém
em mim é seu
sou somente eu 

 

plástico

para Wilmar Silva

Plutão é de plástico
Platão é de plástico
a razão é de plástico
o amor é de plástico
o tempo é elástico
ti     co
te conto segredos
te coloco medos
ti     co
te colo no enredo
escapa entre os dedos
um assunto fantástico
um engano ledo
um brinquedo de plástico
ti     co
 

 

outono

digo outro
ou outono
nem inverno nem verão
nem frio nem calor
nem senti
sua ausência
ou sim chorei bem
outra vez
mas foi fácil
ou passou despercebido
outro ato distraído
tudo por um triz
outra vez
nem calor nem frio
tudo limbo
ou outono
outra vez

 

 

 

Página publicada em junho de 2011; ampliada e republicada em setembro de 2018


Voltar à página do Minas Gerais Voltar ao topo da página

 

 

 

 
 
 
Home Poetas de A a Z Indique este site Sobre A. Miranda Contato
counter create hit
Envie mensagem a webmaster@antoniomiranda.com.br sobre este site da Web.
Copyright © 2004 Antonio Miranda
 
Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Home Contato Página de música Click aqui para pesquisar