Home
Sobre Antonio Miranda
Currículo Lattes
Grupo Renovación
Cuatro Tablas
Terra Brasilis
Em Destaque
Textos en Español
Xulio Formoso
Livro de Visitas
Colaboradores
Links Temáticos
Indique esta página
Sobre Antonio Miranda
 
 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Foto: https://
www.hnt.com.br/artigos/oliva-enciso-pioneira-da-educacao

 

 

OLIVA ENCISO

 

Pantaneira da fazenda Taquaral, em Corumbá, nasceu a 17 de abril de 1909.

Política, natural de Corumbá (MS). Primeira deputada do estado do Mato Grosso, foi professora normalista e trabalhou no Departamento Municipal de Educação de Corumbá (MT). Sempre a frente de programas educacionais elegeu-se vereadora de Campo Grande em 1953. Na eleição seguinte elegeu-se deputada estadual pelo Mato Grosso.

 Faleceu em Campo Grande, em 30 de junho de 2005.

 

 

ENCISO, Oliva.  Palavras de Poesias.   Campo Grande. MS: SENAI/DR/MS, 2004.  154 p.  14 X 21 cm.   Ex. bibl. Antonio Miranda

 

 

         NOITE NA CHÁCARA

Tudo é silêncio. A natureza dorme.
Nada se vê na escuridão sem fim.
Mas lentamente a mata se ilumina
E a lua surge, qual níveo jasmim.

 

No espaço infinito ela vai subindo.
Majestosa domina a amplidão
E a sua luz, vendo brincar nas folhas,
Rendas de sombras estende no chão.

 

Tudo se aclara, mas silêncio em tudo;
Recorta-se no azul o horizonte
Reino de fada encantamento mudo.

 

Assim na vida — após a mocidade.

Quem sonhou, quem sofreu e muito amou.

Sente na alma a noite — que é a saudade

 

                        (1938)

 

 

 

NÓS E AS FLORES

 

 

Dentre as coisas que existem
Há sempre comparação
E os notáveis contrastes...
Há as noites e há os dias...
Há nuvens de luz colorida
E de sombras...
Há tristezas e alegrias...

 

Nos cascalhos, as pedras raras...
Espumas... espumas alvas
Das verdes ondas do mar...
Das folhas emergem as flores
Com suas mais diversas formas
Seus perfumes
E maravilhosas cores!

 

Comparando a humanidade
A um imenso jardim
Vemos variadas flores...
Umas vibram com a vida
Outras consolam nas dores...

 

Flores há que morrendo,
Dão a seus frutos lugar...
Outras, não!

Só enfeitam... nada mais!
Mas suas pétalas fenecem
E no chão desaparecem...
Todas elas são mortais...

Delas e de tudo o mais que existe
Nos diferenciamos
Porque somos muito mais!
Temos o corpo que morre
E nossa alma
Que nos torna imortais!

 

(25.07.1973)

 

 

 

TERMAS DE ÁGUA QUENTE

 

 

Quadro vivo

De paisagem tropical -

Os morros que limitam

0 horizonte,

Obrigando a nossa vista

A se levantar,

Formam com a variedade

Dos troncos, das copas

E das palmas,

Um conjunto de beleza

Sem igual!

 

E que dizer
Da água cristalina,
Que corre marulhante
E as fontes termais!..
Que realizam o prodígio
Da melhora e da cura
De dores cruciais.
O ar é puro e fresco
Com perfume de mata
E a paz que tudo envolve
Convida à meditação
E se torna um lenitivo
Para as dores que oprimem
O nosso coração

 

Aqui há incentivo

Para prosseguirmos

Sem desfalecer,

Apesar da desdita,

Na nossa peregrinação.

Até chegarmos á Pátria Celeste,

À vida infinita.

 

              (12.9.1953)

 

 

 

 

 

Página publicada em setembro de 2020


 

 

 
 
 
Home Poetas de A a Z Indique este site Sobre A. Miranda Contato
counter create hit
Envie mensagem a webmaster@antoniomiranda.com.br sobre este site da Web.
Copyright © 2004 Antonio Miranda
 
Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Home Contato Página de música Click aqui para pesquisar