Home
Sobre Antonio Miranda
Currículo Lattes
Grupo Renovación
Cuatro Tablas
Terra Brasilis
Em Destaque
Textos en Español
Xulio Formoso
Livro de Visitas
Colaboradores
Links Temáticos
Indique esta página
Sobre Antonio Miranda
 
 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

POLLYANNA FURTADO
 (1981)

 

 

é paranaense radicada no Amazonas. Formou-se em Letras e especializou-se em Linguística pela Universidade Federal do Amazonas. É aluna de Mestrado em Letras - Estudos Literários (UFAM) e professora do ensino fundamental. Lançou os livros de poemas f metais e A margem da luz (edição do autor, 2007) e o ABC da Floresta Amazônica com Thiago de Mello (Conhecimento, 2008). A autora participou de eventos de literatura no Brasil e no exterior.

 

De
FURTADO, Polyanna. 
Simetria do caos.
 Rio de Janeiro: 7Letras, 2011.  80 p. 
ISBN  978-85-7577-740-4

 

OS OLHOS

 

No meio da colina dourada,

havia milhares de olhos

de tons e formas distintas.

O branco ovo de pedra

brilhava um verde esmeraldino,

•escondendo o viço nas brutas rochas.

Uma mina de gemas, ágatas,

rubis de fosco brilho

escondidas na montanha rochosa.

Minas secretas,

segredos do mundo.

Olhos sólidos e vívidos

miravam-me do alto

da montanha de livros.

 

 

TEMPOS

 

A terra dos viajantes

em  tempos   perdidos

surgiu  e  desmoronou

a muralha  de  pedras

              castas.

Heterogênica  atitude

           essencial.

A  excelência   cobre

          de virtudes

       o vil sinistro

da  obra   inacabada.

Cansado   de    tanta

            nostalgia

por    rudes   tempos

de eventos ineficazes.

 

 

 

A PRAÇA

 

Distribuição de indigentes

ignorados pela intransigência.

Ignota discrepância

de uma singular civilização.

Desmedidos, censurados em larga instância,

de uma força dividida, em dissipação.

Expressão desenganada e corrompida,

de um povo desiludido pela ganância.

No ácido da ferida,

absorvidos pela ânsia.

Jaz um grito:

dissolvam-se os parâmetros,

recomponha-se o veredicto.

 

 

OS OLHOS

 

No meio da colina dourada,

havia milhares de olhos

de tons e formas distintas.

O branco ovo de pedra

brilhava um verde esmeraldino,

•escondendo o viço nas brutas rochas.

Uma mina de gemas, ágatas,

rubis de fosco brilho

escondidas na montanha rochosa.

Minas secretas,

segredos do mundo.

Olhos sólidos e vívidos

miravam-me do alto

da montanha de livros.

 

 

 

FURTADO, Polyanna.  Fractais.  Manaus: 2008.  29 p. (reimpressão)  “Edição independente”  11x16 cm. Col. Bibl. Antonio Miranda   (EA) 

 

subííme

 

A multiplicidade de imagens poliossêmicas

e aliterações não preenchem o  vácuo

da insignificância retórica de ioda falácia

que preenche os espaços dos jornais e

revistas

as inúmeras notícias contidas e

contaminadas

nas entranhas da opinião pública

toda signifícância impregnada

de sofismo deliberado

mastigados e impulsionados

pelas ondas dos satélites

e a fugacidade das informações

que não compete com as limitações

do cérebro biológico

e a seletividade da memória humana

das pessoas que vivem em zonas

urbanas e não sabem o que fazer

com a caótica concatenação de imagens

e sons dos meios de comunicação.

 

 

 

Página publicada em outubro de 2011, ampliada e republicada em abril de 2014.


Voltar para o topo da Página Voltar para a Página de poetas do Amazonas Voltar para a Página de Iberoamerica

 

 

 

 
 
 
Home Poetas de A a Z Indique este site Sobre A. Miranda Contato
counter create hit
Envie mensagem a webmaster@antoniomiranda.com.br sobre este site da Web.
Copyright © 2004 Antonio Miranda
 
Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Home Contato Página de música Click aqui para pesquisar