Home
Sobre Antonio Miranda
Currículo Lattes
Grupo Renovación
Cuatro Tablas
Terra Brasilis
Em Destaque
Textos en Español
Xulio Formoso
Livro de Visitas
Colaboradores
Links Temáticos
Indique esta página
Sobre Antonio Miranda
 
 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

Vadinho Velhinho

 

Nasceu em Calheta de São Miguel, interior de Santiago Nascido (Cabo Verde), em 29 de maio de 1961. Começou a escrever quando freqüentava o Seminário São José, na Praia. Colaborador de revistas e jornais. Dono de uma poesia noturna, onde a solidão, a morde, o abandono, a loucura, Deus e a conseqüente expulsão do paraíso são temas recorrentes. Admirador dos poetas Fernando Pessoa, Luís de Camões, Augusto Anjos e Eugénio Tavares, ele anuncia o lançamento de Noites ao Cair da Noite — mais um título de poesia. Bibliografia: Relâmpagos em Terra (1995), Adeus Loucura, Adeus (1997), No Ponto de Rebuçados (2001) e O Túmulo da Fénix (2003), e Tenho o Infinito Trancado em Casa (2008).


 

E SÓ NESSE DIA OUTRO BORGES NÃO SERÁS

 

Nos teus deslumbrados olhos um tigre inteiramente doirado

E um outro inteiramente preto disputam os anjos

 

De Blake. Frios, esperam os espelhos que acordes

Para que te nomeiem. Já não sabe o labirinto

 

Nem o sul e as pampas ou o degolado templo

De Dagon o sabem — do antigo e secreto caminho

 

Que a teus olhos de volta conduz. A mão dita-te

O epitáfio e lê-te a rosa o esquecimento qu’inda luz.

 

O caixão, que por Genebra ninguém viu passar, cru

Levam-no Muraña e, reconciliados, os irmãos Iberra.

 

Um dia, quando do teu sono acordares, Georgie,

Banhada em êxtase e tango, terás defronte a ti, sob a Lua,

 

Um infame, um vil, a limpar-te na glande o resto do sêmen

Com uma navalha que a mais nenhuma mão obedecerá.

 

 

MÁSCARAS

 

De que fingimos

Não se dão conta

As Máscaras

 

Para coisas maiores

Foram feitas

 

UM POETA FALANDO A NIETZCHE

 

Deus morreu,

Nietzsche,

Mas no teu interior,

Dentro de ti,

Está mais vivo do que nunca.

Mil vezes mais vivo.

 

Disso eu sei porque

De vocês os dois

Sou eu a sepultura.

 

 

Página preparada por Sebastião Sousa, em agosto de 2008. 

 




Voltar para o topo da página Voltar para poesia Cabo Verde

 

 

 
 
 
Home Poetas de A a Z Indique este site Sobre A. Miranda Contato
counter create hit
Envie mensagem a webmaster@antoniomiranda.com.br sobre este site da Web.
Copyright © 2004 Antonio Miranda
 
Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Home Contato Página de música Click aqui para pesquisar