Home
Sobre Antonio Miranda
Currículo Lattes
Grupo Renovación
Cuatro Tablas
Terra Brasilis
Em Destaque
Textos en Español
Xulio Formoso
Livro de Visitas
Colaboradores
Links Temáticos
Indique esta página
Sobre Antonio Miranda
 
 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 
POESIA MUNDIAL EM PORTUGUÊS

SALOMÃO (REI)

 

Salomão foi um rei de Israel (mencionado, sobretudo, no Livro dos Reis), filho de David com Bate-Seba, que teria se tornado o terceiro rei de Israel, governando durante cerca de quarenta anos (segundo algumas cronologias bíblicas, de 966 a 926 a.C.).  Vide mais em wikipedia.

 

O Cântico dos Cânticos (em hebraico: שִׁיר הַשִּׁירִים, Šīr HašŠīrīm; em grego: σμα σμάτων, Âisma Aismátōn), conhecido também como Cantares, Cânticos de Salomão ou Cântico Superlativo, é o quarto livro da terceira seção (Ketuvim) da Bíblia hebraica e um dos livros poéticos e sapienciais do Antigo Testamento da Bíblia cristã. É um dos cinco Megillot ("cinco rolos") e é lido no sabá durante a Páscoa judaica, marcando o começo da colheita dos cereais e comemorando o Êxodo do Egito.

No contexto das escrituras cristãs, Cântico dos Cânticos é único por celebrar o amor sexual. Ele dá "voz para dois amantes que se elogiam e se desejam com convites para o prazer mútuo" Os dois se desejam e estão felizes em sua intimidade sexual. As "filhas de Jerusalém" formam um coro para os amantes, funcionando como uma audiência cuja participação nos encontros eróticos dos amantes facilita a participação do leitor. A tradição judaica o interpreta como uma alegoria da relação entre Javé e Israel[6] A tradição cristã, além de apreciar o sentido literal, de uma canção romântica entre um homem e uma mulher, interpretou também o poema como uma alegoria de Cristo e sua "noiva", a Igreja Cristã.

                  

BUARQUE, Jamesson. Cântico dos Cânticos. Notas introdutórias e tradução de Jamesson Buarque. Goiânia: Ateliê Tipográfico Cegraf/UFG, 2015.  46 p.  15x19 cm.    Capa: Janaynne Carvalho do Amaral.  Ex. bibl. Antonio Miranda.

 

“o Cântico dos Cânticos apresenta e louva  a relação amorosa entre uma mulher e um homem em ambientação pastoril segundo um envolvimentos embriagado em torno do amor, bem como um sonho, um tanto de perda, quando de desejo e de alcance”. “A leitura, de imediato — pela tradução adotada, que se apoia em marcar actantes (esposa e esposo) e um coro (mulheres de Israel, decerto do harém de Salomão) —, identifica uma forma dialogada que o moldo mais recorrente de ler é associativo ao dramático.” JAMESSON BUARQUE

 

(Uma seleção:)

 

        1

        Esposa

      2    Beija-me com os beijos

            de tua boca;
porque melhor é   o teu amor

            do que o vinho.
3   Suave é o aroma
dos teus unguentos,
como unguento derramado
é o teu nome;
por isso, as donzelas te amam.
4    Leva-me após ti, apressemo-nos.
O rei me introduziu
nas suas recamaras.

Coro

 

        Em ti nos regozijaremos
e nos alegraremos;
do teu amor nos lembraremos,
mais do que do vinho;
não é sem razão que te amam.

 

Esposa

 

  5    Eu estou morena e formosa,
ó filhas de Jerusalém,
como as tendas de Quedar,
como as cortinas de Salomão.

  6     Não olheis para o eu estar morena,
porque o sol me queimou.

         Os filhos de minha mãe

           se indignaram contra mim

         e me puseram por guarda
de vinhas;

         a vinha, porém, que me pertence,
não a guardei.

   7    Dize-me, ó amado de minha alma:
onde apascentas o teu rebanho,
onde o fazes repousar

              pelo meio-dia,
para que não ande eu vagando

         junto ao rebanho

              dos teus companheiros?

 

Esposo

 

    8    Se tu não o sabes, ó mais formosa

              entre as mulheres,
sai-te pelas pisadas dos rebanhos
e apascenta os teus cabritos

               junto às tendas dos pastores.

    9    Às éguas dos carros de Faraó
te comparo, ó querida minha.

    10  Formosas são as tuas faces
entre os teus enfeites,

          o teu pescoço, com os colares.
11   Enfeites de ouro te faremos,

              com incrustações de prata.

 

Esposa

 

   12     Enquanto o rei está assentado
à sua mesa, o meu nardo exala o seu perfume.

   13     O meu amado é para mim

                um saquitel de mirra,
posto entre os meus seios.

   14     Como um racimo de flores de hena

                nas vinhas de En-Gedi,
é para mim o meu amado.

 

Esposo

 

   15     Eis que és formosa,

               ó querida minha,        

                eis que és formosa;
os teus olhos são
                     como os das pombas.

 

Esposa

 

    16   Como és formoso, amado meu,
como és amável!

           O nosso leito é de viçosas folhas,

    17   as traves da nossa casa  
são de cedro,
e os seus caibros, de cipreste.


Obs. O texto completo são 8 Cantos.

 

Página publicada em junho de 2018


 

 

 
 
 
Home Poetas de A a Z Indique este site Sobre A. Miranda Contato
counter create hit
Envie mensagem a webmaster@antoniomiranda.com.br sobre este site da Web.
Copyright © 2004 Antonio Miranda
 
Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Home Contato Página de música Click aqui para pesquisar