Home
Sobre Antonio Miranda
Currículo Lattes
Grupo Renovación
Cuatro Tablas
Terra Brasilis
Em Destaque
Textos en Español
Xulio Formoso
Livro de Visitas
Colaboradores
Links Temáticos
Indique esta página
Sobre Antonio Miranda
 
 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 
 

CARLOS PORFÍRIO

 

 

Nasceu aos 7 de maio de 1944 em Recife-PE. Foi levado para o Rio de Janeiro em 1953 onde fez o seu primário, ginasial e formou-se,já casa­do e com filhos, em Pedagogia como Orientador Educacional. Retornando ao Recife, por contin­gências profissionais, matriculou-se na Univer­sidade Católica do Recife para estudar Filosofia. Contudo, faltando duas matérias, foi nomeado para servir no exterior e assim o fez. Serviu por dois anos no Chile, onde chegou a compor al­gumas poesias e canções em espanhol.

 

Retornando a Brasília entrou para o Sindica­to dos Escritores recebendo a matrícula 315, em 13/03/93. CARLOS PORFÍRIO ocupa tam­bém a cadeira n.20 cujo patrono é Benjamim Constant, da Academia Maçónica de Letras do Distrito Federal. Publicações: "Caminhos" em 1983; "A Rosa Negra do Ser/1995", com o pseudónimo de Eunino Griot, reeditado em 2007; já no prelo, "Poesofando com Sábios" e, para o próximo ano já temos o livro "Faces"; além de várias participações em antologias do Rio de Janeiro, Brasília e Recife.

Nasceu aos 7 de maio de 1944 em Recife-PE. Foi levado para o Rio de Janeiro em 1953 onde fez o seu primário, ginasial e formou-se,já casa­do e com filhos, em Pedagogia como Orientador Educacional. Retornando ao Recife, por contin­gências profissionais, matriculou-se na Univer­sidade Católica do Recife para estudar Filosofia. Contudo, faltando duas matérias, foi nomeado para servir no exterior e assim o fez. Serviu por dois anos no Chile, onde chegou a compor al­gumas poesias e canções em espanhol.

Retornando a Brasília entrou para o Sindica­to dos Escritores recebendo a matrícula 315, em 13/03/93.

CARLOS PORFÍRIO ocupa tam­bém a cadeira n.20 cujo patrono é Benjamim Constant, da Academia Maçónica de Letras do Distrito Federal. Publicações: "Caminhos" em 1983; "A Rosa Negra do Ser/1995", com o pseudónimo de Eunino Griot, reeditado em 2007; já no prelo, "Poesofando com Sábios" e, para o próximo ano já temos o livro "Faces"; além de várias participações em antologias do Rio de Janeiro, Brasília e Recife.

 

 

O RESGATE DA PALAVRA: I Antologia do Sindicato dos Escritores do DF.  Brasilia:     Thesaurus,         2009. 156 p.
ISBN 978-85-7062847-3   Ex. bibl. Antonio Miranda

 

Canção de Luzia

(À Minha Esposa: Eterna Namorada)

 

I

Luzia, ô... Luzia
Quero-te assim
Como tu és pra mim
És meu amor.
Luzia, ô... Luzia
És meu amor
Dá-me o teu calor
Só para mim.

São teus olhos
Que me fazem ver

Todo o mundo de um
modo melhor

São teus lábios
que me fazem sentir
O sabor da vida

 

Ah! Luzia...Luzia..

 

 

II

 

Luzia, ô... Luzia
Perfume-flor
Inspiração do amor
Que existe em mim
Luzia, ô... Luzia
Os olhos teus
São luz que vem de Deus
A me guiar.

 

Coração teu
Que palpita e faz

 

O meu peito
vibrar muito mais

 

No teu corpo eu

encontro feliz

Os encantos da vida

 

Ah! Luzia... Luzia.

 

 

 

 

Intenções puras

 

Após um sonho alto no chão do céu

o despertar real no céu do chão

a coerência, a sensatez, a razão

a objetividade ao alcance

o medo do presente ativo

a angústia do porvir incerto

a insegurança cativa, a timidez ativa

a consciência lúcida, o medo demolidor

a reflexão da maturidade leva à fuga

e à renúncia do querer.

Mas, por quê?... -

Não é direito?

Quem poderá dizer?...

A vida é um bocado de momentos feitos

e a felicidade, o somatório de instantes felizes.

Por que fugir então aos bons momentos da vida,

ou renunciar aos belos instantes a desfrutar?

Viver é buscar, sempre, as melhores emoções

e emocionar-se, veementemente, ante a pureza das intenções.

 

 

 

 

Livro ausente

 

Falta um livro na minha estante.
Este espaço vazio me faz sentir
sua ausência.

Que livro será este a me fazer tanta falta?

E eu nem sei se conheço sua história...

Se tem começo, se tem fim ou,

se é apenas um embaraço.

Pode ser que tenha sido um presente

com a recomendação de,

Profundamente, eu conhecê-lo.

Certeza, absoluta, eu tenho

de que não foi comprado por mim.

Deve ser um livro muito importante.

Mas, por que ele não está na estante?...

Será que o emprestei a alguém

e não me devolveram?

Ou será ele, talvez...

aquele com que eu sonhei

e ainda não o escrevi?...

 

 

 

Página publicada em julho de 2020

 


 

 

 
 
 
Home Poetas de A a Z Indique este site Sobre A. Miranda Contato
counter create hit
Envie mensagem a webmaster@antoniomiranda.com.br sobre este site da Web.
Copyright © 2004 Antonio Miranda
 
Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Home Contato Página de música Click aqui para pesquisar