Home
Sobre Antonio Miranda
Currículo Lattes
Grupo Renovación
Cuatro Tablas
Terra Brasilis
Em Destaque
Textos en Español
Xulio Formoso
Livro de Visitas
Colaboradores
Links Temáticos
Indique esta página
Sobre Antonio Miranda
 
 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 
 

 

E. BONAVONA

 

 

Nasceu em Luanda no dia 26 de fevereiro de 1955. Obras publicadas: “ Ulcerado de Míngua luz” (1985) e “Limites da Luz” .

 

 

Dos Ventos da Lona

 

A chuva

Vai tornar a cair
Sobre

A minha aldeia

 

As bandeiras do milho
Voltarão a flutuar

Ao vento.

 

Teremos verde nos olhos
Os lábios molhados de leite
E o mugido dos animais

 

Nesse dia

Vou sair para a praça
Da igreja

E cantar

Um hino aos deuses.

 

Reunidos em família
A aldeia será
Iluminada

Pelos sorrisos dos seus filhos
De regresso dos tempos

Das tendas de lona.

 

Por agora,

 

deixa os sinos do teu corpo
tocarem todos,

 

deixa a vaga de vento

te levar para as portas do céu.

 

Poisa levemente os pés
na lã dos caminhos e

vai segura pela minha mão
que voltarás ao amanhecer

 

com as águas das montanhas
entre o coaxar das rãs

saindo do teu peito.

 

Os dias serão maduros

de azul, cânticos de amor e pão.

 

Haverá mel nos lábios

e em todas as esquinas
estarei

à espera de ti!

 

 

O Amanhecer das Águas

 

Procuro a luz

dos teus olhos

a transparência que se guarda

na alma,

 

como fruta sumarenta,

o feitiço que se insinua

 

no ventre.

 

Alcanço os trópicos

das tuas coxas;
kitande em fogo brando,

 

liberto

 

o vulcão que se esconde
no vórtice do teu corpo.

 

Cresço para a noite,
e rente às águas,
amanheço:

 

 

Volto ao início

 

da criação

disposto

ao pecado original.

 

 

O meu tempo é outro

 

Envio-te flores:

Rosas, tulipas, margaridas e narcisos,
Neste tempo de neve e luz.

 

É que a minha festa

É outra - a festa do corpo

 

Ausente e vivo como o fogo
Das lareiras deste tempo.

 

E, afinal, o meu tempo
Também é outro:

É o tempo do sol,

O tempo das acácias,

 

É o tempo do barro
Trabalhado pelas mãos
Do oleiro.

 

É o tempo da fruta madura
O tempo da fecundação,

O tempo do amor.

 

 

 

Extraídos de:

VASCONCELOS, Adriano Botelho de, org. Todos os sonhos. Antologia da Poesia   Moderna Angolana.  Luanda: União dos Escritores Angolanos "Guaches da Vida",   2005.  593 p. 


 

 

 
 
 
Home Poetas de A a Z Indique este site Sobre A. Miranda Contato
counter create hit
Envie mensagem a webmaster@antoniomiranda.com.br sobre este site da Web.
Copyright © 2004 Antonio Miranda
 
Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Home Contato Página de música Click aqui para pesquisar